Cauterização Capilar – O Rei das Escovas

Compartilhar é se importar!

A cauterização é uma reestruturação capilar. A cauterização — ou plástica capilar, como também é chamada — é um tratamento que faz a cicatrização das cutículas do cabelo através de hidratações com produtos especiais.

Queratina

Cauterização Capilar

Um dos principais componentes do cabelo é a queratina. Quando os fios perdem esse nutriente ocorre um desgaste da fibra capilar, os cabelos ficam secos, quebradiços, porosos e sem vida. A cauterização é uma técnica para repor essa queratina perdida.



A queratina é o componente essencial do fio, formado por aminoácidos que preenchem as fissuras e recompõem a fibra do cabelo. Além disso, a queratina penetra na cutícula do cabelo, hidratando e restaurando fio a fio, devolvendo a maciez, o brilho e repondo a queratina natural do cabelo.

Cauterização Capilar

Como é feita a cauterização capilar?

O tratamento de cauterização pode ser feito em salão de beleza ou em casa. Para obter um resultado mais eficiente, principalmente em cabelos mais ressecados, o ideal é que seja feito por profissionais em salão. Para manter os cabelos sempre hidratados, o procedimento pode ser feito em casa com kits de cauterização disponíveis no mercado.



No salão, a cauterização é feita por etapas:

  • Os cabelos devem ser lavados duas vezes com shampoo anti-resíduos para abrir as escamas e prepará-lo para a máscara de hidratação.
  • Antes de receber o creme, é importante secar com uma toalha para tirar o excesso de água.
  • Depois, os cabelos são separados em mechas para receber o creme e um reestruturador à base de colágeno. Deixa-se agir por 20 minutos e então enxágua-se.
  • Após retirar todo produto, é aplicado um composto a base de queratina.
  • Assim que todo o cabelo receber a queratina, novamente mechas serão separadas para serem secas com secador. Em seguida, passa-se a chapinha para a queratina penetrar nos fios com maior eficiência.
  • Para finalizar, os cabelos recebem óleo de silicone para abaixar ainda mais os fios, principalmente os novos.

Vale lembrar que cada cabelo requer um tipo diferente de hidratação, pois cada tipo pode apresentar diferentes graus de ressecamento ou estrutura. O profissional deve analisar as necessidades do fio e determinar o método a ser usado.



É importante que essa técnica seja sempre conduzida por um profissional qualificado.

Cauterização Capilar alisa os cabelos?

A cauterização capilar é uma técnica de hidratação profunda dos cabelos, que não alisa os cabelos, mas que devido ao seu poder hidratante deixa os cabelos mais macios, sedosos e com a aparência mais lisa devido ao seu fator anti frizz.

Recomendação de Kits de Cauterização para Uso Doméstico:

  • Keratina – Kit cauterização capilar (Vizcaya).
  • Sistema de restauração nanoesfera de ativos reparadores (Ecologie).
  • Kit cauterização – carga de maxqueratina (Niely Gold).
  • Kit cauterização Absolut Repair (Loreal).
  • Kit queratinização com cauterização (Vita A).

A cauterização é recomendada para quaisquer tipos de cabelos, principalmente para fios muito danificados, ressecados, com pontas duplas, quebradiços, desidratados por tinturas ou por uso excessivo de secadores e escova definitiva.

A reposição da queratina dá um resultado fantástico aos cabelos, deixando-os com muito mais brilho, maciez e força.

Para que serve?

cauterização no cabelo é indicada especialmente para quem pretende aumentar o brilho, diminuir o frizz e alinhar os fios.

Este tratamento também é recomendado como uma forma de recuperar a vitalidade após a realização de algum tipo de química capilar danosa, como tintura e escova progressiva.

Composição

De acordo com a dermatologista Paula Raso, da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), não existe uma padronização em relação à cauterização capilar. Por exemplo, um cabeleireiro pode fazer apenas a aplicação de queratina, mas outro pode usar produtos com outras funções e fórmulas.

Tem formol?

“Acredito que, em alguns salões, já sejam aplicados produtos que contêm derivados de ácido glioxílico, que ajuda a alisar o cabelo e manter o resultado por muito mais tempo”, afirma a especialista.



Popularmente, muitos conhecem o ácido glioxílico como formol, mas na realidade são duas substâncias diferentes que, na prática, têm efeitos semelhantes.

O ácido glioxílico se trata de um ativo que pode liberar formol quando exposto a altas temperaturas. Como na cauterização é necessário usar chapinha nos cabelos, após a aplicação do produto, o risco de exposição é alto.

“O grande perigo é que algumas dessas substâncias ainda não foram liberadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), mas há lugares em que são usadas mesmo assim”, alerta a médica Paula Raso.

O mais indicado, portanto, é realizar o procedimento com um cabeleireiro capacitado e de confiança.

O cabelo fica alisado?

 

Tratamento capilar no salão.

coka/Shutterstock

Ao contrário da impressão que muitos podem ter, diferente da escova progressiva, o objetivo da cauterização capilar não é alisar o cabelo.

O que acontece é que certas substâncias, como o formol, podem deixar o volume mais controlado, o que pode dar a impressão de que os fios estão mais lisos.

Contudo, se for aplicada apenas a queratina, os fios ficarão mais hidratado e com menos frizz, mas não alisarão.

Riscos da cauterização capilar

Como já dissemos, existem alguns cuidados e riscos no procedimento. O primeiro deles é a aplicação excessiva de calor durante a chapinha. Se isso for feito de maneira errada, os fios podem ser danificados.



“Além disso, como o ácido glioxílico libera formol com o calor da chapinha, muitas pessoas podem apresentar reação alérgica, o que é um perigo”, diz a médica da SBD.

Grávidas vs. cauterização capilar

O grande vilão da história é o formol. Por ser uma substância cancerígena e de rápida absorção no couro cabeludo, o recomendado é que gestantes e lactantes o evitem de qualquer maneira.

O formol pode causar malformação do feto ou ser transmitido para o bebê por meio do leite materno, já que entra na corrente sanguínea da mãe quando utilizado.

“Como não existe um padrão claro dos produtos utilizados nos salões de beleza, fica a dúvida sobre quais cauterizadores contém a substância nociva ou não”, alerta a dermatologista. O ideal seria ter certeza em relação à composição, mas é difícil garanti-la sem padronização. Se houver a certeza de que a cauterização é feita somente com queratina, em teoria, ela pode ser realizada em grávidas, mas é melhor não arriscar.

Quanto tempo dura?

Se o tratamento for feito apenas com a queratina pura, não há grandes restrições para realizá-lo com maior frequência, como até uma vez ao mês.

No entanto, se houver a presença do ácido glioxílico ou do formol, o tratamento irá durar mais e não precisará ser feito novamente em menos de três meses.

Cuidados depois da cauterização capilar

Após realizar o procedimento, é preciso tratar as madeixas com condicionador e máscara hidratante. Isso irá garantir o sucesso e o prolongamento dos efeitos da cauterização capilar.



O interessante das máscaras hidratantes é que elas são, geralmente, um pouquinho mais concentradas do que os condicionadores, garantindo um poder de hidratação até maior, e podem ser feitas em casa. Além dos produtos industrializados, existem diversas receitas com óleos, leite, frutas e mel, a depender apenas de sua preferência pessoal. Basta aplicar no cabelo depois de lavado, deixar agir por uns 10 minutos e remover.

E você, já fez cauterização capilar? Gostou do resultado?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

onze − 10 =