Matiz, saturação e intensidade: as três palavrinhas mágicas da colorimetria capilar

2604 0

Compartilhar é se importar!

A cliente chega determinada ao salão pedindo para ter um cabelo “morena iluminada”, mas sai completamente loira. É possível que ela mesma não perceba a diferença e até se contente com o resultado. Porém, o profissional precisa estar ciente de que não atendeu ao pedido que lhe foi feito.

Reconhecer essa diferença faz parte do estudo da colorimetria capilar, importante técnica na área da beleza, capaz de auxiliar os profissionais a tomarem melhores decisões em relação às cores de tintura.

Com essa técnica fica mais fácil prever resultados e saber como corrigir, caso seja necessário.

Como funciona a colorimetria

Segundo Luciana Santos, professora do curso de colorimetria do Senac Novo Hamburgo, para se ter fios tingidos e bonitos é necessário entender um pouco de como as cores se comportam. Mas só isso não basta. O processo envolve também uma análise minuciosa de cada cabelo em particular, pois cada um deles possui uma estrutura diferente.

“O  bom cabeleireiro sabe da importância de analisar bem um cabelo antes de iniciar qualquer processo químico, pois o resultado final depende de vários fatores, desde químicas anteriores até a saúde dos fios”, sinaliza a professora.

Ela salienta que o colorista deve, inicialmente, analisar a cor que já está no cabelo da cliente, seja ela natural ou artificial. A partir daí, a técnica de colorimetria entra com o propósito de analisar o que precisa ser melhorado no tom do cabelo e qual a cor que mais valoriza os traços pessoais.

Colorir o cabelo parece simples, mas essa arte exige muito mais do que misturar tinturas e aplicar nos cabelos. A colorimetria rege as regras da boa coloração: é uma ciência que vai fundo no estudo das cores, analisa sua composição e suas combinações, levando em conta a forma como são vistas”, acrescenta Luciana.

Cuidados ao tingir os fios

Para manter os fios coloridos sempre belos, os cuidados necessários vão além da colorimetria. Se o seu objetivo é fazer jus à técnica, a professora fornece algumas orientações que ajudam a garantir a beleza dos fios antes e após a coloração.

Proteção pré-tintura

Inicialmente, é preciso cuidar dos fios e prepará-los para receber a tintura. Por isso, é indicado fazer uma hidratação pelo menos uma semana antes de pintar o cabelo. “Se for descolorir, fazer hidratações nas últimas duas semanas que antecedem o procedimento ajuda a deixar as madeixas mais resistentes”, comenta Luciana.

Coloração

“Assim como é importante escolher um bom profissional para ajudar nesse processo de mudança, também é fundamental escolher produtos de qualidade, que contenham os melhores pigmentos e tragam em sua fórmula ativos que tratem os cabelos”, enfatiza a especialista. Converse sobre isso com o seu cabeleireiro.

Tratamento

De acordo com Luciana, depois da coloração é importante ter alguns cuidados para a manutenção das madeixas. “O ideal é usar produtos específicos para cabelos tingidos, pois eles evitam a oxidação dos pigmentos e, consequentemente, o desbotamento precoce da tintura”, conclui. Se possível, faça também hidratações recorrentes.

Usar tinturas sem o conhecimento dos seus efeitos é um risco muito grande, tanto para seu cliente, quanto para sua carreira. Busque aprimorar suas técnicas e evite surpresas indesejadas.

Thiago

Mergulhando no mundo dos blogs da área da beleza, apaixonado pela tecnologia, marketing de diferenciação e futuro especialista em SEO!

Related Post

Como recuperar pontas espigadas

Como recuperar pontas espigadas?

Posted by - 24 de julho de 2018 0
Quem tem algum procedimento químico nos fios como descoloração, luzes, escova progressiva, encontra um resultado bem indesejado: as pontas dos…

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *