Rafael de la Lastra: dicas de colorimetria e platinado perfeito

Compartilhar é se importar!

Os estilos de cabelos seguem o comportamento humano, a moda e o momento social.  É cada vez mais comum ver o street style – no Brasil e no mundo – composto por diferentes cores e cortes nas madeixas. Mas, colorir os fios exige muito cuidado e conhecimento do profissional, seja nos coloridos, como azul e cor de rosa, ou nos sempre tão cobiçados loiros platinados.



Rafael de la Lastra“O colorista é um artista que, com uma boa base de colorimetria terá infinitas possibilidades”, explica Rafael de la Lastra, cabeleireiro que, mais uma vez, marca presença na Hair Brasil levando aos participantes sua expertise em colorimetria e dicas quentíssimas de como conseguir o platinado perfeito.

“O profissional vai aprender a base da colorimetria de uma maneira nunca vista”, adianta o profissional que já atuou em salões em Barcelona, Miami, Palm Beach e Las Vegas.

Rafael de la Lastra é cofundador do Instituto de Aperfeiçoamento De La Lastra, diretor dos estágios De la Lastra de cursos de aperfeiçoamento profissional, em Aventura (EUA), e de cursos de assessoria técnica e empresarial para salões também nos Estados Unidos. O profissional também é estilista máster e professor do De La Lastra Cabeleireiros.



Conversamos com Rafael para saber o que esperar do seu workshop na Hair Brasil 2019. Confira a seguir:

HB –  Você terá um workshop sobre colorimetria na Hair Brasil 2019, pode nos falar um pouco sobre ele?
Rafael de la Lastra –
 Depois de 30 anos de profissão e 20 ministrando cursos de aperfeiçoamento para profissionais cabeleireiros, desenvolvi um workshop rápido e prático de colorimetria. O profissional vai aprender a base de uma maneira nunca vista. Já que não falo de uma marca específica, o que ensino vai servir para a que ele já trabalha no salão. Além disso, todos os anos trago alguma novidade que está na moda.



HB – Os loiros nunca saem de moda?
Rafael de la Lastra –
 Felizmente não, mas os estilos e técnicas mudam muito. De Ombré Hair a Californianas. Do uso de papel alumínio na técnica até a touca. Mas nada disso funciona sem uma boa base em colorimetria.

Rafael de la LastraHB – E quais são as principais dificuldades de se trabalhar com coloração e, especialmente, loiros?
Rafael de la Lastra –  
Acredito que no Brasil, o maior problema é o conhecimento sobre o fundo de clareamento. Saber corrigir uma cor indesejada, principalmente porque o que funciona com uma marca não vai funcionar com outra.  E é isso que mostro no workshop.



HB – Nos últimos anos, as técnicas foram aprimoradas, certo? Na sua opinião, quais são as facilidades conseguidas com o desenvolvimento de mercado para a colorimetria?
Rafael de la Lastra 
–  Quem tem 30 anos ou mais de profissão sabe que moda vai e volta, mas acredito que a melhor coisa que aconteceu recentemente foi o desenvolvimento de ótimas marcas de produtos nacionais e a possibilidade de ensino à distância, para quem está muito longe dos grandes centros.

“O acesso a bons produtos e cursos melhorou a capacidade técnica dos profissionais”
HB – O que os interessados podem esperar do seu workshop? Sairão mais preparados para atingir o loiro ideal?
Rafael de la Lastra –
 Não só o loiro ideal, mas qualquer cor. O colorista é um artista que, com uma boa base de colorimetria, terá infinitas possibilidades.



HB –  Para você, qual é a importância de ter um evento dentro de uma feira como a Hair Brasil?
Rafael de la Lastra 
– Para mim é uma honra e um prazer. Acredito que o valor de um profissional não está no volume de clientes que ele atende nem no faturamento mensal dele. O valor está em quantas vidas ele pode mudar. E, ao meu ver, a melhor maneira de fazer isso é repassando conhecimento.

“Sempre tive um carinho especial pela Hair Brasil. Sei que a feira vai ser, como sempre, um sucesso”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

seis − 5 =